Entre anjos e demônios interiores

“O homem cria o sublime, mas, também, pode criar o monstruoso”. Hannah Arendt

Hannah Arendt: judia, discípula e amante do polêmico Heiddeger (um dos filósofos de Hitler), ela passou uma vida a buscar reflexões sobre os fenômenos nazista e comunista, a malignidade humana e as mentiras na política

Esta entrada foi publicada em Pensamentos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *