Efeito Plutão na queda das bolsas de valores

Maktub, maktub. Está tudo escrito nas estrelas, ensina o brasileiro de maior prestígio no planeta, o imortal Paulo Coelho. Estava escrito que os Estados Unidos quebrariam este ano a espinha dorsal da sua economia – e que as bolsas de valores iriam para o beleléu. Um astrólogo escreveu isso. E publicou. Previu que as estruturas planetárias começariam a se desmanchar em 2008 com o trânsito de Plutão e sua entrada no signo de Capricórnio.

Do que se trata? Ora, não sei com precisão o que significa a entrada de Plutão em Capricórnio. Só sei que me lembrei das previsões do astrólogo Francisco Seabra quando li as primeiras notícias da nova crise financeira internacional. Ano passado ele havia me falado que 2008 seria de grandes conturbações. Terremotos, furações e outros efeitos do aquecimento global. Também haveria muita conturbação política e social, muita violência. E, principalmente, catástrofes financeiras, em especial no centro do império global, os Estados Unidos.

“Chico, escreve isso e publica”, sugeri. Ele escreveu, em forma de conferência.

Chico Seabra é filho e discípulo de Geraldo Seabra, um dos maiores astrólogos deste País, hoje aposentado. Há 10 anos, a meu pedido, fez previsões sobre o governo Fernando Henrique Cardoso, que publiquei na revista Manchete. Foram previsões impressionantes, de grande impacto na época. Entre suas previsões, uma crise econômica iminente e a perda (por morte) de colaboradores essenciais para FHC. Logo depois de publicada a matéria, veio a crise financeira da Ásia e da Rússia. Em paralelo, morreram Sérgio Motta e Luiz Eduardo Magalhães, dois baluartes do governo FHC.

Seabra é um dos fundadores do Centro de Estudos Parapsicológicos da UnB. Seus estudos astrológicos costumam ter em média 80% de acertos. Convidei-o para ser colunista deste site. Ele aceitou, mas só escreveu um único artigo, esse aí sobre Plutão. Seabra morre de preguiça de escrever. Mas é um bom astrólogo.

Feita a apresentação, vamos ao que interessa – Plutão e a quebra das bolsas de valores. Vou reproduzir os principais trechos da conferência de Seabra sobre o assunto. Assim as explicações ficarão mais precisas:

PLUTÃO EM CAPRICÓNIO

Rebaixado pela União Astronômica Internacional – UAI à categoria de planeta-anão, em 2006, Plutão é entendido pelos astrólogos como um gigante. Obviamente, não por seu volume e massa, mas sim por sua força sobre o comportamento humano e demais assuntos da Terra. O planeta atua como um bate-estaca, um rolo compressor, um triturador, um transformador. Por onde passa, Plutão deixa suas marcas de dor, tragédia, morte e destruição… Os casos mais positivos da manifestação desse astro nos impele à reflexão, à tomada de consciência e renascimento pessoal, como a mitológica Fênix.

No dia 26 de janeiro de 2008 Plutão ingressará em Capricórnio e transitará por este signo até 21 de janeiro de 2024, à exceção do período compreendido entre 15 de junho a 27 de novembro de 2008, quando o astro retrogradará e transitará novamente por Sagitário, acarretando outros e maiores transtornos análogos ao signo do centauro arqueiro. Com a passagem de Plutão em Capricórnio, e dado as analogias desse astro e signo, teremos dezesseis anos de liquefação do sólido que fará com que, no mínimo, a Terra dê um espirro. Segundo Liz Greene, renomada astróloga inglesa: Plutão tem o efeito de um raio destruidor. Portanto, esse “espirro” de Plutão pode ter proporções inimagináveis no planeta Terra.

O trânsito de Plutão e sua entrada no signo de Capricórnio, quando ocorrerá uma sobreposição da energia centrípeta e diluidora de Plutão, que liquefaz a energia rígida e equilibrada de Capricórnio. Tudo isso resulta em uma desorganização da estrutura deste signo. O conceito da estrutura de Capricórnio pode ser ilustrado na coluna vertebral do homem e no eixo da Terra. Acreditamos que a passagem de Plutão em Capricórnio não só trará grandes males na coluna do homem, especialmente os nascidos com o Sol sob o signo de Capricórnio, como também haverá alterações significativas na inclinação do eixo da Terra.

EFEITO PLUTÃO EM OUTRAS ERAS

Puiggros desenvolveu um estudo de Astrologia Humanista que analisou a passagem de Plutão por diversos signos. De acordo com suas observações, quando transitou por Câncer, nos anos de1912 a1939, Plutão nos fez rever os conceitos de família e pátria, valores transformados substancialmente com as eclosões da primeira e segunda grandes guerras. Milhões de pessoas nascidas sob o trânsito de Plutão em Câncer sofreram uma trágica desilusão quando, no decorrer de suas vidas, se viram afastadas de suas famílias e nações. O período do trânsito de Plutão em Leão, nos anos de1937 a1957, foi marcado pelo egoísmo, orgulho, megalomania e desejo de poder. Com a passagem de Plutão em Virgem, nos anos de1956 a1972, vieram as mudanças nas relações de trabalho e nos conceitos relacionados à saúde, que passa então a ser considerada algo mais que a ausência de enfermidade, fazendo surgir a necessidade de uma alimentação mais adequada, bem como múltiplas medicinas ditas alternativas. Nos anos de1971 a1984, com o trânsito de Plutão em Libra, as bases e as motivações do casamento praticamente desapareceram. A moralidade estreita e os romantismos sem sentido deixaram de produzir relações.

Seguindo os passos de Puiggros, passei a formular previsões em sala de aula a partir do ingresso de Plutão em Escorpião, cujo trânsito teve seu início em 1983 e seu término em 1995. Explicava aos meus alunos que durante aquele período vivenciaríamos o incremento da Biologia. Transformações no comportamento sexual das pessoas, uma grande epidemia e alguns fatos marcantes nos fariam refletir sobre assuntos relacionados à sexualidade, psique e morte. A geração de crianças que nascia sob a marca de Plutão em Escorpião se mostraria bastante violenta. Aquelas previsões, que à primeira vista poderiam parecer imprecisas, foram baseadas simplesmente nas analogias de Plutão, do signo de Escorpião e da casa 8: estudo da Biologia, sexo, mente e morte. Naquele período, deu-se início ao Projeto Genoma. A AIDS tomou conta do mundo gerando profundas adaptações em nossas relações sexuais. Surgiram várias denúncias acerca do trabalho de Freud. A geração Plutão em Escorpião é representada pelos jovens de hoje, revelando-se por demais violenta. Anotamos três ocorrências de pessoas em estado de coma havia décadas e que repentinamente abriram seus olhos, receberam alta e retornaram para suas famílias. Um policial foi assassinado a tiros durante uma operação policial poucas horas antes da cerimônia na qual se casaria.. A “noiva-viúva” conquistou na justiça italiana o direito de casar-se com o defunto, o que foi feito. Esse é um fato isolado, mas que serve como ilustração para que se compreenda como atua o trânsito de Plutão no mapa astrológico.

Quando Plutão preparava-se para seu ingresso em Sagitário, em 1995, e com base nas analogias desse signo, continuei formulando previsões acerca dos trânsitos de Plutão. Surgiriam novos países. Bancos e outras instituições financeiras quebrariam. Viriam alterações em moedas e no sistema de compras. Ocorreriam crises e escândalos no Poder Legislativo e na Igreja Católica. Também costumava repetir para meus alunos: durante o trânsito de Plutão em Sagitário, não devemos fazer coisas ocultas ou agir secretamente, porque a verdade logo virá à tona. Isto porque Sagitário tem analogia com a franqueza e Plutão com o mexer no lodo fazendo com que a água se mostre turva. Nesse período o Euro foi criado. Uma bomba explodiu um centro cultural e financeiro judaico na Argentina. O atentado fez com que o país vizinho fechasse sua fronteira com o Brasil. Eclodiram escândalos após escândalos na Câmara dos Deputados no Brasil e em outras câmaras pelo mundo. A Igreja foi abalada por seus sacerdotes pedófilos. Um pastor evangélico chutou uma imagem de Nossa Senhora em programa exibido por uma emissora de televisão.

Mais recentemente, nos surpreendemos com ações da Polícia Federal e escutas telefônicas autorizadas por ordem judicial pegando centenas de bandidos com suas bocas e mãos na botija. A onda de escândalos chegou à Ordem dos Advogados do Brasil, seção DF, com denúncias de fraudes no resultado dos exames para advogados. O ataque às torres-gêmeas, WTC, símbolo do poder financeiro americano, quando Plutão se colocou a 12 graus e 39 minutos do signo de Sagitário e formava conjunção com o ascendente dos Estados Unidos, fato que marcou a humanidade.

PLUTÃO NA ASTROLOGIA

Para Plutão, Weiss propõe a combinação Quente e Seco, portanto do elemento Fogo. Porém, segundo ele mesmo, a dominação de Plutão sobre Escorpião escaparia à lógica (WEISS, 1993). Aqui apresentamos a hipótese de que o astro é formado pela combinação Frio e Úmido, prevalecendo a primeira dessas qualidades (SEABRA, 2004). Frio indica o estado gerador de adesão, paralisação e retração. O Úmido é gerador de receptividade, plasticidade e adaptação. Ainda que não saibamos as exatas proporções das energias Frio e Úmido na combinação deste astro, a análise da posição de Plutão nos mapas astrológicos mostra que ele possui uma energia centrípeta, sensível, condensadora, absorvente, pesada, densa, escura e profunda a ponto de inibir a manifestação da vida.

Sua magnitude é a mais baixa do Sistema Solar, sendo o planeta que favorece a morte. É um planeta lento, e por isso mesmo geracional. A sua polaridade é tradicionalmente aceita como positiva. Plutão rege Escorpião e é co-regente de Áries, ambos signos de grande poder destrutivo. Tem analogia com a Casa 1 (instinto) e a Casa 8 (morte).

O astro é análogo a uma força terrível e poderosa que provoca explosões e desagregações no comportamento humano. De energia tensa e violenta, o planeta representa a destruição e as transformações, sejam elas emocionais, psíquicas ou físicas. As pessoas com forte influência do astro são extremistas, obcecadas, desafiadoras, perigosas e de grande poder mental. Onde Plutão manifesta sua influência, encontramos desagregação, tensão, destruição e transformação. Tem como analogias gerais o extremismo, introspecção, silêncio, invisibilidade, agressão, destruição, amputação, sexo, mente, morte, putrefação, caverna, cemitério, minas, petróleo, psicanálise, demolição, reconstrução. Quando se encontra em bom estado cósmico, desenvolve a força, coragem, determinação, poder mental, atração sexual, regeneração. Em mau estado cósmico promove a destruição, violência, agressividade, animosidade, sadismo, separação, desagregação, loucura, crueldade.

CAPRICÓRNIO, SATURNO E A CASA 10

Capricórnio é o décimo signo do zodíaco, cujo arco vai de 270º a 300º eclípticos. É composto pelas energias Seco predominando sobre o Frio (Terra e polaridade negativa). É regido por Saturno e Urano e análogo à Casa 10, setor das ambições, realizações e do êxito social. Plutão em trânsito pelo ponto mais alto do zodíaco natural pode fazer com que os habitantes da Terra vivenciem a personificação do grito destruidor de Hades sobre a energia castradora de Capricórnio.

Este signo permite um estudo mais profundo dos aspectos materiais, como também almeja um conhecimento superior mais sensível (ainda que as coisas do espírito não façam parte do seu elemento, ele as tenta alcançar para seus fins egoístas do campo da matéria). A ação desse planeta tende a restringir ou controlar a criação e a emoção, valorizando a organização racional da vida.  Os assuntos sob a sua influência são tratados com cálculo para que sejam desempenhados com afinco e esmero. Sua ação é comedida, conservadora, reta, reservada e econômica. Capricórnio é representado pelo cabrito montês, animal que sobe as escarpas lentamente, comendo capim ralo e seco, buscando chegar ao cume da montanha. No seu trajeto, pode acontecer do cabrito cair escarpa abaixo, ferindo especialmente a coluna e os joelhos. Mostra-se mais concentrado, comedido e realizador sob a influência de Saturno, seu principal regente. Mais criativo, porém, quando combinado com Urano.

Ligado às estruturas, no corpo humano Capricórnio rege a pele, os ossos, a coluna e os joelhos. Seus efeitos de secura e queda são mais percebidos na velhice. As pessoas sob sua forte influência têm grande resistência e ossatura forte. Os joelhos e nodos dos dedos são salientes, e os dedos e as pernas são finas. Nas profissões inclina para engenheiros, construtores, matemáticos, contadores, sacerdotes, juízes, mineradores, estivadores e todas as profissões pesadas ou que exigem máxima responsabilidade e juízo aprimorado. Aplicado à Geografia, Capricórnio representa o eixo da Terra, as calotas polares e as superfícies continentais, em especial montanhas e cordilheiras.

Guarda analogias gerais com as montanhas, chumbo, esforço, aplicação, prudência, experiência, eficiência, persistência, equilíbrio, eixo, método, restrição, separação, condensação, cumprimento, seriedade, sobriedade, ambição, julgamento acertado, economia, parcimônia, sectarismo, ascensão lenta, estruturas, isolamento, conservadorismo, o velho, o poder judiciário, as igrejas evangélicas, a estrutura, a engenharia, a matemática, o cimento, o gelo, o pólo norte, o eixo e a superfície do nosso planeta, o tempo e o relógio. Em bom estado cósmico, indica assiduidade, esforço, ambição, anseio de domínio, voluntariedade, disposição para a ação, economia, reserva, responsabilidade, eficiência, seriedade, prudência, retidão, racionalismo, solidez, disciplina, cálculo, auto-suficiência, defesa integral dos próprios interesses, pessimismo e melancolia (mesmo em bom estado energético). Quando em mau estado cósmico indica frieza, egoísmo, receio, avareza, descontentamento, capricho, astúcia, artimanha, imoralidade, tacanhice, abuso das outras pessoas em vantagem própria, repressão, medo, isolamento, desconfiança, rejeição, restrição, depressão.

INFLUÊNCIAS NA SAÚDE E EM OUTRAS ESTRUTURAS

É de se esperar aumento nos males da coluna vertebral, ossos, joelhos e pele. Weiss (1993) anota como também análogas a Capricórnio e Saturno os males dos dentes, bexiga e as doenças catarrais crônicas. No seu aspecto positivo, Plutão deverá atuar no desenvolvimento de novas tecnologias referentes às próteses ósseas bem como no enxerto ou transplante de pele.

Plutão em Capricórnio pode indicar novos e significativos desmoronamentos ou implosões de edifícios, pontes e metrôs, sucessivos escândalos envolvendo o poder judiciário e igrejas evangélicas, resultando em descrença naquelas instituições, como ocorreu com o poder legislativo e a Igreja Católica, quando da passagem de Plutão em Sagitário.

ESTADOS UNIDOS

No período 1769 a1784, durante a última passagem de Plutão em Capricórnio, deu-se a revolução americana e a independência dos Estados Unidos. Aqui fica claro o conceito da quebra de estruturas sócio-econômicas e culturais. Em 1929, quando ocorreu o crack da Bolsa Americana, Plutão estava em Câncer, formando conjunção com o Sol no mapa dos EUA. A casa 2 do mapa astrológico é significadora de dinheiro, bens e propriedades. No caso dos EUA, a casa 2 tem sua cúspide a 11 graus de Capricórnio. Plutão chegará neste ponto eclíptico no ano de 2013, promovendo profundas alterações na economia norte-americana. A possível bancarrota econômica dos EUA obviamente influenciará todos os mercados do mundo. Capricórnio significa investimento naquilo que é sólido. Ao invés de papéis da bolsa, a energia capricorniana prefere investir naquilo que lhe parece materialmente palpável e seguro, como terras e construção civil ou, em última instância, guardar seu dinheiro embaixo do velho colchão.

Em 2013, Plutão forma oposição ao Sol dos Estados Unidos, que se encontra em Câncer e na casa 8 do seu mapa, setor que governa a morte. Caso estivéssemos tratando do mapa de um indivíduo, diríamos que aquela pessoa enfrentaria uma derrocada econômica e seria ferido de morte. No caso dos EUA, além de uma nova depressão econômica, eles terão que enfrentar algum novo ataque bélico a seu território. Em 2020, Plutão estará a 24 graus de Capricórnio, formando oposição ao Mercúrio do mapa dos EUA. Nesse mapa, Mercúrio representa não só os sistemas de comunicação, mas também os países com quem os EUA se relaciona, posto que Mercúrio rege a casa 7, das parcerias. Novamente, se estivéssemos tratando do mapa de um indivíduo, diríamos que ele iria se desentender e agredir verbal e fisicamente seu cônjuge ou parceiro, resultando em um divórcio e inimizade declarada. No caso dos EUA, é possível que naqueles tempos o país esteja envolvido em um novo conflito mundial.

APOCALIPSE

O fim do mundo era aguardado para o Ano 2000. Hoje, apenas 8 anos depois da malfadada data, cientistas de olho no aquecimento global, conseqüência do efeito estufa, mostram-se temerosos com a vida do nosso planeta. A camada de gelo dos pólos está se fragmentando, espalhando novos icebergs nas correntes marítimas. Ursos polares estão morrendo afogados. Surgem os ciclones extra-tropicais trazendo prejuízos ao Sul do país. O mar avança rapidamente lambendo os alicerces dos prédios da zona sul da cidade do Recife e de Olinda, Pernambuco, e de outras cidades litorâneas nos quatro cantos do mundo. Ratifica-se aqui a idéia de usar o trânsito de Plutão em Capricórnio, recém-saído da conscientização de Sagitário, para refletir sobre as soluções e, com isso, evitar catástrofes. O que se defende é uma acomodação da mente perante a realidade que nos cerca. Em síntese, estar preparado para a tragédia poderá amenizar seus efeitos sobre o Planeta.

Em novembro de 2007, todas as ruas e avenidas da cidade de Uberlândia foram inundadas, a ponto dos automóveis flutuarem uns sobre os outros. O noticiário alardeia alterações meteorológicas em todas as partes do planeta. O mundo não acabou, porém enlouqueceu.

Em seu discurso escatológico, Jesus afirma que no final dos tempos não ficará pedra sobre pedra que não seja derrubada. Todos saberão de guerras e de terremotos em diversos lugares. Então haverá um enorme relâmpago que se mostrará visível do Oriente até o Ocidente. As pessoas fugirão para os montes ou para os telhados de suas casas e a aflição será como jamais houve. O Sol escurecerá, a Lua não nos dará sua claridade e as estrelas cairão do céu. E como foi nos dias de Noé, assim também será naqueles dias. Aqui fica evidente a previsão do Grande Mestre da Humanidade, que previu uma realidade que já se apresenta aos habitantes do Planeta. Uma inclinação do eixo da Terra poderá dar aos seus habitantes a ilusão de que as estrelas estão realmente caindo do céu.  A inundação das cidades litorâneas, resultante do descongelamento das geleiras, é um fato aceito e encarado como iminente pelos cientistas de todo o mundo.

O eixo Capricórnio X Câncer se refere ao eixo Pólo Norte X Pólo Sul terrestre. Com sua entrada em Capricórnio (signo Frio e Seco), Plutão (de constituição Fria e Úmida) tende a liquefazer as calotas polares, fato que já está ocorrendo. Porém, é de se esperar que o completo desgelo ocorra em quantidade e velocidade considerável, até o ano de 2024, quando Plutão terá completado seu trânsito por Capricórnio. Assim, aventamos a hipótese de que a água resultante do degelo se dirigirá para a linha do Equador, causando inundações litorâneas jamais vistas.

Com a redistribuição do peso do planeta, o eixo terrestre poderá sofrer uma alteração na sua atual inclinação, hoje de 24 graus aproximadamente. Caso esta inclinação ocorra de forma súbita, temos a explicação da imagem proposta por Jesus, a de que as estrelas cairão do céu. Da mesma forma, visto da Terra, o Sol mudará sua posição instantaneamente, de forma que veremos um claro em movimento semelhante a um relâmpago. Uma alteração na inclinação do eixo da Terra, por mínima que for, alterará os dias e as noites nas regiões circunvizinhas aos pólos.

Por fim, esses fatores também poderão afetar a velocidade de rotação da Terra, culminando na transformação das estações do ano e no próprio conceito de tempo. A hipótese é baseada nas principais analogias do signo de Capricórnio e seu regente, Saturno, o relógio e o tempo, e o poder transformador do planeta-anão chamado Plutão.

É notório que os estudos sobre Astrologia são incipientes, apesar de ela fazer parte da vida dos cidadãos do Planeta Terra há milênios. O que se defende aqui é o fomento de novas pesquisas que possam trazer algumas respostas para as eternas dúvidas da humanidade.

Não se trata de crer ou não na prática astrológica, mas de abrir espaço para que a Astrologia possa deslanchar e evoluir a partir da contribuição de intelectuais e profissionais das mais diversas áreas de conhecimento. Hoje, com a consciência de que somos seres holísticos, interconectados com o Universo, nos leva a voltar nossos olhares para o Cosmo e perceber que fazemos parte dele e, por isso, devemos considerar todo tipo de estudo que nos conduza à conscientização do nosso papel no Universo.

Esta entrada foi publicada em Espiritualidade e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *